Contratar um freelancer ou uma empresa?

Qualquer que seja o tipo de trabalho que necessite, a única solução pode não ser contratar uma empresa para o concretizar. No mercado também existem os freelancers que até podem ser a solução mais indicada para o seu caso.

Antes demais, o que me levou a escrever este artigo foi devido a conversas com outras pessoas (responsáveis de empresas e não só) e depois de umas pesquisas aqui pela Internet. Notei que há um ponto que predomina sobre este assunto: as empresas são melhores e mais confiáveis que os freelancers. Aliás, a maioria ainda acrescenta que não se pode confiar nos freelancers, porque corre-se o risco de desaparecerem de um dia para o outro. 

A minha opinião - e não só sobre este assunto -  é que nunca se deve generalizar! Em primeiro lugar porque é incorrecto e depois porque, muito provavelmente, se está a mentir... a menos que conheçamos todas as realidades (o que não me parece!).

Com este artigo não pretendo defender ninguém e, muito menos, atacar alguém. Apenas pretendo dar o meu ponto de vista de como se deve avaliar e escolher a melhor solução para o nosso caso em específico.

Trabalhar com Freelancers

Ao falar de freelancers, há que salientar que existem basicamente dois tipos:

  1. Os “amadores”, no sentido de (ainda) não ser a sua profissão - normalmente são iniciantes ou, independente da experiência, dão um jeito nos tempos livres para ganhar mais uns trocos ao final do mês (a sua atenção centra-se no seu emprego principal);
  2. Os profissionais - aqueles que optaram por criar o seu próprio negócio, têm uma estrutura organizada e operam tal como uma empresa.

Uma pessoa, ao procurar por um freelancer, certamente vai querer trabalhar com um profissional que se enquadre no segundo grupo. Um profissional que tem a sua marca no mercado e preocupação em apresentar o melhor serviço ao cliente.

Não existe melhor opção do que aquela de quem vai executar o trabalho. Por exemplo, quando existe um website para fazer, é o programador que mete as mãos na massa. O freelancer é essa pessoa... É ele quem vai executar o trabalho!

Apesar de ser freelancer, não quer dizer que seja o único profissional responsável por todo o projecto ou que tenha de saber tudo. Os freelancers podem ter parcerias com outros profissionais, para completar todas as necessidades do projecto.

Trabalhar com Empresas

Sendo uma empresa, em princípio, deve existir uma estrutura organizacional, o que, à primeira vista, torna esta opção mais sólida. A empresa, ao operar num determinado mercado, terá uma equipa montada para satisfazer todas as necessidades que precisam. Para além da equipa de trabalho, há outros profissionais para cobrir todas as áreas de negócio, um espaço físico e uma imagem de marca.

Mas, apesar de transmitirem esta imagem mais sólida, por vezes, pode não ser bem assim. As empresas têm mais facilidade em esconder a realidade, têm profissionais de comunicação que sabem como camuflar a realidade interna da empresa. Na verdade, as empresas dependem (e muito) dos seus colaboradores. Caso falhe um, todo o trabalho poderá estar comprometido.

De salientar que, neste momento, muitas empresas estão a trabalhar com freelancers e, se elas confiam no trabalho de um freelancer, é porque também acreditam que há profissionais competentes e confiáveis a trabalhar de forma independente.

Empresa ou Freelancer?

No mercado encontramos bons e maus freelancers, assim como também há boas e más empresas. Cabe a nós avaliar as opções que temos e saber diferenciar um bom de um mau profissional.

Tempo de execução
Partindo do princípio que há disponibilidade para avançar com o trabalho, o tempo de execução de um freelancer é mais rápido que uma empresa. Numa empresa, o fluxo de trabalho segue um caminho que pode passar por várias pessoas até chegar ao responsável pela execução do trabalho (e depois ainda há o caminho inverso no regresso).

Equipa de Trabalho
Normalmente o freelancer é mais multifacetado (no mesmo projecto pode fazer mais que uma função) e a empresa tende a ter uma equipa (onde cada um tem um papel bem definido). Este princípio não é uma regra, porque nada impede um freelancer ter parceiros de negócio ou uma empresa ter um colaborador que faça o projecto todo.

Preço
Os freelancers tendem a ter um preço inferior às empresas, uma vez que, não têm custos para suportar toda uma estrutura ou equipa. Importante não confundir preço inferior com preço baixo!

Disponibilidade de atendimento
Ao dar a sua cara ao ser o seu negócio, o freelancer praticamente está sempre acessível para o cliente, ao contrário da empresa que tem um horário fixo de trabalho.

De salientar que não falei em qualidade, competência e confiança, porque é uma opção óbvia trabalhar apenas com profissionais que lhe garantam estes princípios.

Qual a melhor opção?

Na minha opinião, o facto de ser empresa ou freelancer não pode ser um factor discriminatório à partida. Nos dias de hoje temos profissionais competentes e experientes em ambos os lados e por isso a diferenciação não passa por este ponto. O mais importante nesta questão é saber se, partindo dos nossos objectivos e necessidades, são competentes e conseguem finalizar o trabalho tal como pretendemos.

Num próximo artigo vou falar como pode analisar e escolher a melhor solução para o seu caso.

E o leitor confia de igual modo nos freelancers e nas empresas?